Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

Conselho Nacional de Procuradores-Gerais - CNPG

Menu
<

Atuação

O Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas congrega o Ministério Público brasileiro e foi criado em fevereiro de 2002, por iniciativa do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais dos Ministérios Públicos dos Estados e da União, para combater o crime organizado, que atinge todo o país.

O GNCOC, formado pelos Grupos de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECOs), trabalha de maneira integrada com as polícias civil, militar, federal e rodoviária federal, Abin (Agência Brasileira de Inteligência), receitas estadual e federal, Agência Nacional de Petróleo, entre outros órgãos.

Crédito: GaecoEm setembro de 2012, o Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (GNCOC) realizou outra operação em doze estados que resultou na prisão de 92 pessoas, quatro delas ex-prefeitos (um de Porto Velho, em Rondônia, e outros três de municípios de São Paulo). Entre os detidos, agentes públicos, policiais e empresários envolvidos em esquemas ilegais que lesavam os cofres públicos. Além disso, foram cumpridos, ao todo, 31 mandados de suspensão da função pública e 65 mandados de bloqueios de bens. Cerca de 150 promotores e 1.300 policiais participaram da ação que teve o objetivo de desarticular quadrilhas responsáveis pelo desvio de mais de R$ 1,1 bilhão dos cofres públicos. As investigações foram realizadas nos seguintes estados: Bahia, Ceará, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Rondônia e São Paulo. Ao todo, pelo menos 291 pessoas são investigadas.

Em outubro de 2013, com a cooperação do GNCOC, foram expedidos 50 mandados de prisão e 25 de busca e apreensão no Mato Grosso, além de outros cumpridos no Mato Grosso do Sul, São Paulo e Rondônia. As investigações iniciaram em março do último ano até junho de 2013 e, nesse período, as prisões de alguns suspeitos foram realizadas, segundo o Gaeco. Em março deste ano, por exemplo, uma operação resultou na prisão de acusado considerado ser um dos líderes do grupo criminoso em Mato Grosso, sendo que na ocasião ele foi flagrado com mais de uma tonelada de maconha. Na denúncia também há outros fatos criminosos envolvendo a mesma facção, como tentativa de homicídio contra três jovens no Bairro Doutor Fábio, em Cuiabá, apreensão de um veículo na divisa com o Paraguai e que iria transportar droga para Mato Grosso, ações contra estabelecimentos bancários e comerciais na região sul do estado, além do homicídio em Poxoréo.

.: voltar :.