Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

Conselho Nacional de Procuradores-Gerais - CNPG

Menu
<

 

 

Por aclamação, o Procurador-Geral de Justiça Paulo Cézar dos Passos, foi eleito na manhã desta quarta-feira (27/3) presidente do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais do Ministério Público dos Estados e da União (CNPG). A posse do novo presidente do CNPG foi marcada para o dia 24 de abril, no Mato Grosso do Sul. 

A reunião ordinária do CNPG foi realizada na sede do Ministério Público do Trabalho, em Brasília, sendo presidida pelo Procurador-Geral de Justiça do Ministério Público do Estado de Rondônia, Airton Pedro Marin Filho, que preside interinamente o CNPG.

Ao cumprimentar os colegas, Paulo Cézar agradeceu a confiança recebida dos membros do colegiado e reforçou o compromisso de trabalhar para manter o Ministério Público unido na elevada missão de servir à sociedade e, para isso, defender a autonomia e as prerrogativas ministeriais.

Na ocasião, também foram eleitos os vice-presidentes regionais do CNPG:

Centro-Oeste: Procurador-Geral de Justiça do Ministério Público do Mato Grosso, José Antônio Borges;

Nordeste: Procurador-Geral de Justiça do Ministério Público do Ceará, Plácido Barroso Rios;

Sul: Procurador-Geral de Justiça do Ministério Público do Paraná, Ivonei Sfoggia;

Norte: Procurador-Geral de Justiça do Ministério do Pará, Gilberto Valente Martins;

Sudeste: Procurador-Geral de Justiça do Ministério Público do Espírito Santo, Éder Pontes da Silva.

MP da União: Procuradora-Geral de Justiça do Ministério Distrito Federal e Territórios, Fabiana Costa Oliveira Barros temas junto ao Parlamento nacional.

 

Eleição CNJ

Durante a reunião ordinária de março, também foi realizada a eleição para formação da lista tríplice a ser encaminhada à Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, como indicação do colegiado para a vaga destinada a Membro do Ministério Público dos Estados para compor o CNJ.  Em primeiro lugar, ficou a procuradora de Justiça, Ivana Farina, do Ministério Público de Goiás, com 23 votos; procurador de Justiça Afonso Guizzo, do Ministério Público de Santa Catarina, 15 votos; e o promotor de Justiça Paulo Alexandre Rodrigues Siqueira, do Ministério Público do Tocantins, com 15 votos.

.: voltar :.