Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

Conselho Nacional de Procuradores-Gerais - CNPG

Menu
<

O Ministério Público do Estado do Tocantins (MP/TO), por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Guaraí, solicitou a prisão preventiva de Elenilson da Silva Aires e Ronielson Soares Calazans após a apreensão de 14,9 kg de maconha e 1,6 kg de cocaína. Os acusados foram detidos pela Polícia Rodoviária Federal nesta terça-feira, 26, por volta das 17h30. O Poder Judiciário atendeu ao pedido do MP/TO e decretou a prisão preventiva dos dois acusados.

 

O Promotor de Justiça Guilherme Goseling Araújo, responsável pelo caso, relata que em virtude da ausência de Delegado de Polícia de plantão para receber o flagrante após as 18h, e da falta de efetivo da Polícia Rodoviária Federal para deslocar os acusados até Palmas, coube ao MP/TO instaurar procedimento investigatório para apuração do crime de tráfico ilícito de drogas.

 

A decisão de solicitar a prisão preventiva levou em consideração o poder investigatório do Ministério Público, reconhecido pelo Supremo Tribunal Federal, a gravidade do crime praticado e a eminente soltura dos detidos.

 

"A prisão preventiva tem a finalidade de garantir a aplicação da lei penal, visto que os dois não possuem qualquer vínculo com a cidade de Guaraí e tampouco têm endereço confirmado. Se permanecessem soltos, poderiam empreender fuga e jamais serem encontrados novamente".

 

Após a prisão preventiva, os acusados foram encaminhados à cadeia pública de Guaraí.

 

 

Assessoria de Comunicação

Ministério Público do Estado do Tocantins

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

63-3216-7515/7532

.: voltar :.