Imprimir

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por meio do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça de Defesa do Meio Ambiente (Caop Meio Ambiente), assumirá a coordenação do Fórum Pernambucano de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos. A assunção da coordenação pelo MPPE foi deliberada na manhã dessa quarta-feira (15), durante reunião da Comissão de Reestruturação do Fórum Estadual, ocorrida na sede do Caop Meio Ambiente, na sede das Promotorias de Justiça da Capital.

Segundo o coordenador do Caop Meio Ambiente, André Felipe, passar a coordenação do Fórum ao MPPE era um pleito antigo e manifestado nas últimas reuniões plenárias realizadas este ano. A decisão foi comemorada pelo Coordenador do Fórum Nacional, o procurador regional do Trabalho da 6ª Região (MPT-PE), Pedro Serafim. A formalização se dará na próxima reunião plenária do Fórum, no dia 4 de julho, no auditório da Escola Superior do MPPE, a partir das 9 horas, quando o promotor de Justiça André Felipe Barbosa de Menezes apresentará proposta do novo Regimento Interno do Fórum.

"A coordenação do Fórum Pernambucano pelo MPPE, além de atender a um pleito dos seus integrantes, possibilitará o alinhamento do Fórum Estadual com o Fórum Nacional e uma maior sintonia com outros Fóruns Estaduais, já coordenados por promotores de Justiça, o que reforça a unidade de atuação do MP Brasileiro, observadas as particularidades locais", explica André Felipe.

O Fórum Pernambucano de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos foi o primeiro a ser criado no País, e está em funcionamento desde 2001. O Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo, sem considerar o contrabando de produtos oriundos de outros países.