Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

Conselho Nacional de Procuradores-Gerais - CNPG

Menu
<

Uma notícia dando conta que a Caixa Econômica Federal (CEF) teria sido contratada sem licitação pelo Estado de Goiás para gerir o pagamento do funcionalismo público estadual é objeto de apuração no Ministério Público de Goiás. Também será apurada as condições da contratação do Banco do Brasil pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) para gerir as contas daquele órgão.

O promotor de Justiça Fernando Krebs instaurou inquérito civil público para a apuração. Há informações de que o “distrato” realizado pelo Estado com o Banco Itaú teria resultado no pagamento de mais de R$ 165 milhões àquela instituição financeira, valor que, para o promotor, revelaria fortes indícios de indevidos prejuízos aos cofres públicos.

Desta forma, Krebs requisitou uma série de informações para verificar se, com as negociações, houve afronta aos princípios da legalidade, moralidade e publicidade, bem como a prática de atos de improbidade administrativa. (Postado por Marília Assunção - Texto: Cristiani Honório / Assessoria de Comunicação Social do MP-GO)

.: voltar :.