Seu navegador nao suporta javascript, mas isso nao afetara sua navegacao nesta pagina

Conselho Nacional de Procuradores-Gerais - CNPG

Menu
<

O Colégio de Procuradores de Justiça do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), presidido pelo Procurador-Geral de Justiça, Fernando da Silva Comin, empossou na manhã desta quarta-feira (28) uma nova Promotora de Justiça Substituta, Barbara Machado Moura Fonseca, aprovada no 40º Concurso de Ingresso na Carreira. Na mesma solenidade, também se prestou homenagem a 10 membros da Instituição que se aposentaram nos últimos dois anos. A cerimônia ocorreu na Sala de Sessões do Colégio de Procuradores de Justiça do MPSC, em Florianópolis.

Durante a sessão solene, Barbara, que atuará como Promotora de Justiça Substituta na 8ª Circunscrição do MPSC, com sede na Comarca de Curitibanos, recebeu a carteira funcional e as vestes talares. "Minha expectativa é conseguir servir bem a sociedade, ter acesso a infraestrutura e a tudo o que é necessário para fazer um bom trabalho nas diversas áreas envolvidas pelo MPSC. Fazer com que a sociedade catarinense seja cada vez mais justa e tenha o seu bem-estar assegurado é meu objetivo", enfatizou a nova Promotora. O termo de posse foi lido pelo Assessor de Direitos Estatutários, Promotor de Justiça Júlio Fumo Fernandes.

A homenagem, em clima de celebração e, ao mesmo tempo, comoção, reconheceu publicamente os membros aposentados do MPSC Larissa Mayumi Karazawa Takashima Ouriques (representada por seu irmão, o Juiz de Direito da Comarca de Lages Alexandre Takashima), Anelize Nascimento Martins Machado, Miguel Luís Gnigler, Caio César Lopes Peiter, Carlos Eduardo Abreu Sá Fortes, Heloisa Melo Enns, Hercília Regina Lemke, Rosan da Rocha, Silvana Schmidt Vieira e Eraldo Antunes. Foram entregues placas com mensagens de agradecimento, destacando a atuação zelosa, dedicada e prestativa em cada área de atuação e causas de interesse da Instituição.

Homenagem

Em seu discurso, representando os demais aposentados, o Procurador de Justiça Carlos Eduardo Abreu Sá Fortes relembrou o início da carreira, em 1986. "Naquela época tínhamos muitas dificuldades. Fazíamos o concurso, tomávamos posse e nos informavam para onde ir. Então, olhávamos no mapa para saber se existia estrada asfaltada até o destino. Em comparação aos dias de hoje, as dificuldades, pelo menos de locomoção física, diminuíram, mas creio que as atribuições do MPSC aumentaram sobremaneira. Vejo dentro desse cenário que a Instituição cresce a cada dia e é mais respeitada pela sociedade catarinense e brasileira", falou, emocionado. 

Por meio de mensagem lida pela cerimonialista do evento, a Promotora de Justiça aposentada Larissa agradeceu a homenagem e os anos de trabalho na Instituição. "Quantas lembranças maravilhosas guardamos desse período de 10 anos. A credibilidade da Instituição, alcançada pela atuação firme e combativa de seus membros, era notada pelas comarcas em que passei, sobretudo as interioranas. A sociedade respeitava e contava com a atuação ministerial para as mais variadas demandas, e isso me entusiasmava e me permitia conclamar a trabalhar os interessados a mudar realidades, que prejudicavam especialmente a infância e adolescência, área pela qual desenvolvi predileção, em razão da proteção de pessoas em desenvolvimento e tão especiais", destacou.

Momento especial

Em nome do Colégio de Procuradores de Justiça do MPSC, o Procurador de Justiça Lio Marcos Marin deu as boas-vindas à Promotora de Justiça e homenageou os membros aposentados. Em seu discurso, destacou a singularidade daquela cerimônia. "É um momento especial, pois num mesmo ato recepcionamos e nos despedimos. É o começo de uma jornada e o fim de outra, ou melhor, o começo de outras", ponderou o Procurador de Justiça. Na saudação à empossada, fez um contraponto entre Direito e Justiça. "Direito se aprende estudando. Justiça, porém, se aplica com bom senso, com sentimento, com o coração. Procure sempre compreender o drama pessoal que está por trás de cada processo. Procure ser boa, justa e útil; assim você se sentirá feliz", disse à nova Promotora de Justiça Substituta. 

Na fala aos membros aposentados, o Procurador de Justiça fez referência ao poeta francês Vitor Hugo. "Muitas vezes, desejamos que a vida seja feita apenas de coisas que nos parecem agradáveis, esquecidos de que são os obstáculos que nos fazem evoluir. São as responsabilidades que nos pesam aos ombros que nos mantêm com os pés no chão, e as forças contrárias servem de testes para nossa resistência", citou, completando que os colegas aposentados podem ter o conforto em seus corações "de que lutaram o bom combate, pois cumpriram com a missão do Ministério Público de Santa Catarina".

O Procurador-Geral de Justiça, Fernando da Silva Comin, admitiu a dificuldade de conter a emoção diante da solenidade. "É um momento especial e único no MPSC. Ao mesmo tempo, o ingresso e o acolhimento de uma Promotora de Justiça, cheia de vida e de desafios pela frente, e a despedida e o até logo a colegas valorosos que ajudaram a construir o que a Instituição é hoje e será sempre", disse. 

Comin também falou, comovido, das palavras enviadas pela Promotora Larissa e da forma como a Promotora Anelise foi conduzida para receber a homenagem. "As palavras da Promotora Larissa são muito comoventes, porque expressam a grandiosidade que é o sacerdócio do MPSC", falou. "É difícil não se emocionar diante do gesto que vimos hoje aqui. A colega Anelize sendo conduzida delicadamente, lado a lado, por dois colegas da mesma caminhada. Esse gesto representa o que é o MPSC, representa toda a solidariedade e amor que existe dentro da nossa Instituição", complementou. 

O chefe do MPSC finalizou a cerimônia com uma citação do poema Colcha de retalhos, de Cora Coralina. "Que sigamos em frente e confiantes, meus amigos e minhas amigas, que o Ministério Público é belo e o gesto e a solenidade de hoje expressa o quão linda é a nossa Instituição, uma grande colcha de retalhos". 

MPSC empossa Promotora de Justiça Substituta e homenageia membros aposentados

.: voltar :.